Maternity marks: of the belly for life

Keywords: Maternity, Bond, Child development

Abstract

This work aimed to understand the relevance of the mother-baby bond for child development from the perspective of mothers and pregnant women. For this, the Internal Psychodrama technique was used, where the participants established conversations with the mother in the past, the current child and the child in the future, also a semi-structured questionnaire was used. Before the research was realized, the participants understood the role of mother as the role of caring, protecting, supporting, educating, and loving, understanding that they are an example. In addition, there is the idea that what occurs in gestation affects both the formation of the fetus and the development of its personality after birth.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Azevedo, R. (2017). Amo meu filho, mas odeio ser mãe: Reflexões sobre a ambivalência na maternidade contemporânea. (Monografia de Especialização, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre). Retirado de: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/163940/001025591.pdf?sequence=1

Badinter, E. (1985). Um amor conquistado: o mito do amor materno (4a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira.

Brum, E. H. M. D., & Schermann, L. (2004). Vínculos iniciais e desenvolvimento infantil: abordagem teórica em situação de nascimento de risco. Ciência & saúde coletiva, 9(2), 457-467. https://doi.org/10.1590/S1413-81232004000200021

Bustos, D. M. (1990). Perigo... Amor a vista! Drama e psicodrama de casais. São Paulo, SP: Aleph.

Camargo, B. V., & Justo, A. M. (2015). IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, 21(2), 513-518. https://doi.org/10.9788/TP2013.2-16

Caron, N. A. (2000). O ambiente intra-uterino e a relação materno fetal. In N. A. Caron, A relação pais e bebê: da observação à clínica (pp. 119-134). São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Carvalho, L. A., & Limaverde, M. N. L. A. (1994). Psicodrama infantil: estratégias e correlações com a criança e a família. Revista. Brasileira de Psicodrama, 11(1), 77-88.

Figueiredo, B., Costa, R., & Pacheco, A. (2002). Experiência de parto: alguns fatores e consequências associadas. Análise Psicológica, 20(2), 203-217. Retirado de: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php script=sci_abstract&pid=S0870-82312002000200002

Fonseca Filho, J. S. (1980). Psicodrama da Loucura: correlações entre Buber e Moreno. São Paulo, SP: Ágora.

Fontana, P. S. M., Jerônimo, R. N. T., Santos, C. M. S., & Nuernberg, D. (2014). Gestar e dar à luz, ser mãe e desabrochar: momentos inesquecíveis na vida das primíparas. In R. N. T. Jerônimo (Org.), Mulher e maternidade: silêncios revelados na escuta da psicologia (pp. 23-57). Tubarão, SC: Copiart, 2014.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4a ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Levandowski, D. C., Piccinini, C. A., & Lopes, R. C. S. (2008). Maternidade adolescente. Estudos de Psicologia (Campinas), 25(2), 251-263 https://doi.org/10.1590/S0103-166X2008000200010

Machado, E. D. G. C. (1998). Gestação, parto e maternidade: uma visão holística. Belo Horizonte: Aurora.

Maldonado, M. T. P. (2013). Psicologia da gravidez, parto e puerpério. Petrópolis, RJ: Jaguatirica.

Matos, M. G., & Seixas, A. M., Féres-Carneiro, T., & Nonato Machado, R. (2017). Construindo o vínculo pai-bebê: a experiência dos pais. Psico-USF, 22(2), 261-271. https://doi.org/101590/1413-2712017220206

Milanello, M. (2005). Moreno e Winnicott: aproximações (Dissertação de mestrado, Pontifica Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP). Retirado de: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15940

Minayo, M. C. S. (2008). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde (11a ed.). São Paulo, SP: Hucitec.

Moreno, J. L. (2015). Psicodrama (11a ed.). São Paulo, SP: Cultrix.

Nery, M. P. (2014). Vínculo e Afetividade. São Paulo, SP: Ágora.

Oliveira, M. E., Siqueira, A. C., & Zandonadi, A. C. (2017). A importância do afeto materno através do toque para o desenvolvimento saudável da criança. Revista Farol, 3(3), 97-110. Retirado de: http://www.revistafarol.com.br/index.php/farol/article/view/46/71

Spitz, R. A. (2000). O primeiro ano de vida (2a ed.). São Paulo, SP: Martins Fontes.

Vinuto, J. (2014). A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, 22(44), 203-220.

Retirado de: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/tematicas/article/view/2144/1637

Published
2019-12-18
How to Cite
Forlin, K. A., Castro, A., Alberton, N. V. B., & Fernandes, F. de S. (2019). Maternity marks: of the belly for life. Revista Brasileira De Psicodrama, 27(2), 186-198. Retrieved from https://revbraspsicodrama.emnuvens.com.br/rbp/article/view/11
Section
Original Papers