Psychodrama and race relations

  • Maria Célia Malaquias
  • Denise Silva Nonoya
  • Antonio Carlos Massarotto Cesarino
  • Maria da Penha Nery
Keywords: psychodrama, racial and ethnic relations, suffering, racism, social inclusion

Abstract

This article is the result of the round table “Psychodrama and race relations”, presented at the 20 th Brazilian Congress of Psychodrama, and aims at discussing the relevance of a space to share practices, experiences and research on race relations. Moreno presents the Ethnodrama as a psychodrama contribution to combat ethnic problems. From the Guerreiro Ramos‟ perspective, we aim to focus on the part of the history of ethnic relations in Brazil, marked by racism and psychological distress. There is the need to know the specificities of these prejudice, discrimination and exclusion relations, that subtly or explicitly trigger deep emotional wounds. Moved by the resonances of that table, we present in this article our discussion, plus six testimonials of the audience. We invite readers to reflect: how psychodramatists can step in this reality?

Downloads

Download data is not yet available.

References

Braga, J. L. O. (2014). Vira-latas: Complexo e cultura no país do futebol. In Anais do XXII Congresso Associação Junguiana do Brasil. Búzios, RJ. Recuperado de http://www.ajb.org.br/congresso/anais.

Byington, C. A. B. (2013). A identidade brasileira e o complexo de vira-lata. Uma interpretação da psicologia simbólica junguiana. Jungiana, 31(1), 71-80.

Carone, I., & Bento, M. A. S. (Orgs.) (2002). Psicologia do racismo. Estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes.

Fonseca, F. J. S. (2000). Psicoterapia da relação. São Paulo: Editora Ágora.

Fonseca, F. J. S. (2008). Exclusão: Inclusão na vida e obra de J. L. Moreno. Revista Brasileira de Psicodrama, 16(1), 45-59.

Guimarães, A. S. A. (2002). Classes, raça e democracia. São Paulo: Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2005). Sistema de dados agregados, características gerais da população. Recuperado de http://www.ibge.gov.br

Malaquias, M. C. (2004). Revisitando a africanidade brasileira: Do teatro experimental do negro de Abdias do Nascimento ao protocolo problema negro-branco, de Moreno (Monografia para obtenção do título de psicodramatista didata supervisora). Sociedade de Psicodrama de São Paulo (SOPSP), São Paulo.

Moreno, J. L. (1974). Psicoterapia de grupo e psicodrama. São Paulo: Mestre Jou.

Moreno, J. L. (1975). Psicodrama. São Paulo: Cultrix.

Moreno, J. L. (1992). As palavras do pai. Campinas, SP: Editorial Psy.

Moreno, J. L. (1993). Psicoterapia de grupo e psicodrama: Introdução à teoria e à prática. Campinas, SP: Editorial Psy.

Munanga, K. (2003). Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. Recuperado de http://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Uma-abordagem-conceitual-das-nocoes-de-raca-racismo-dentidadee-etnia.pdf

Nery, M. P. (2008). Afetividade intergrupal, ações afirmativas e sistema de cotas para negros (Tese de Doutorado em Psicologia Clínica e Cultura). Universidade de Brasília, Brasília, DF.

Santos, S. (2007). Movimentos sociais negros, ações afirmativas e educação (Tese de Doutorado em Sociologia). Universidade de Brasília, Brasília, DF.

Souza, N. S. (1983). Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Graal.
Published
2020-01-14
How to Cite
Célia Malaquias, M., Silva Nonoya, D., Carlos Massarotto Cesarino, A., & da Penha Nery, M. (2020). Psychodrama and race relations. Revista Brasileira De Psicodrama, 24(2), 91-100. Retrieved from https://revbraspsicodrama.emnuvens.com.br/rbp/article/view/279
Section
Artigos de Reflexão