Recreational activities and spontaneity in elderly care service

  • Franciane Rech da Silva
  • Rosa Nadir Teixeira Jerônimo
Keywords: older people, spontaneity, group spaces, leisure time, social identity

Abstract

This study, with twelve participants of older people‟s groups of Criciúma (SC), emphasizes recreational activities in these spaces and older people‟s spontaneity. The methodology was the non-participant directed observation – logbook and semistructured interview – and the analysis, based on Psychodrama and Environmental Psychology, focused on spontaneity. The results show that the participants of these activities redeem and reframe their spontaneity, through the freedom of expression, social interaction and contact with their essence.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Appolinário, F. (2012). Metodologia da ciência: Filosofia e prática da pesquisa (2a. ed.). São Paulo: Cengage Learning.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Brasil (2004). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional da Assistência Social – PNAS 2004. Brasília: MDS. Recuperado em 13 de outubro de 2014 de http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/arquivo/Politica%20Nacional%20de%20Assistencia%20Social%202013%20PNAS%202004%20e%202013%20NOBSUAS-sem%20marca.pdf

Brasil (2009). Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome. LOAS Anotada: Lei Orgânica da Assistência Social. Brasília: Secretaria Nacional da Assistência Social e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Recuperado em 13 de outubro de 2014 de http://www.duquedecaxias.rj.gov.br/portal/Midia/DESANS/documentos/assistencia/Lei8742.pdf

Brasil (2012). Conselho Nacional de Saúde. Resolução no 466. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado em 13 de outubro de 2014 de http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Bustos, D. M. (1992). Novos rumos em psicodrama. São Paulo: Ática.

Cukier, R. (1992). Psicodrama bipessoal: Sua técnica, seu terapeuta e seu paciente. São Paulo: Ágora.

Fleury, H. J. (2006, jun.). Grupo de mulheres. Revista Brasileira de Psicodrama, 14(1), 121- 130.

Fonseca, J. (2006, jun.). Medo e esperança: Indivíduo, grupo e sociedade. Revista Brasileira de Psicodrama, 14(1), 15-31.

Fonseca Filho, J. S. (2008). Psicodrama da loucura: Correlações entre Buber e Moreno (7a. ed. rev.). São Paulo: Ágora.

Gonçalves, C. S., Wolff, J. R., & Almeida, W. C. (1988). Lições de psicodrama: Introdução ao pensamento de J. L. Moreno. São Paulo: Ágora.

Gonçalves, T. M. (2007). Cidade e poética: Um estudo de psicologia ambiental sobre o ambiente urbano. Ijuí, RS: Unijuí.

Jerônimo, R. N. T. (2012). Cultura e natureza em Ibiraquera: Poesia e conflitos numa comunidade tradicional. Criciúma, SC: Ediunesc.

Minayo, M. C. S. (1994). Ciência, técnica e arte: O desafio da pesquisa social. In M. C. S.

Minayo, & S. F. Deslandes, Pesquisa social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes.

Moreno, J. L. (1975). Psicodrama (A. Cabral, Trad.). São Paulo: Cultrix.

Papalia, D. E. (2006). Terceira Idade. In D. E. Papalia, S. W. Olds, & R. D. Feldman, Desenvolvimento humano (8a. ed., pp. 658-736). Porto Alegre: Artmed.

Philippini, A. (1998). Mas o que é mesmo Arteterapia? Revista Imagens da Transformação, 5, 4-9.

Pol, E. (1996). La apropiación del espacio. In L. Iniguez, & E. Pol (Orgs.), Cognición, representación y apropiación del espacio (pp. 45-60). Barcelona: Universitat Barcelona Publicacions.

Proshansky, H. M. (1976). Apropiación et non apropiación (mis-appropiation) de l’ espace. [s.l.: s.n.].

Ramalho, C. M. R. (2010). Psicodrama e dinâmica de grupo (157 p.). Aracaju: Iglu.

Sene-Costa, E. M. (1998). Gerontodrama: A velhice em cena. Estudos clínicos e psicodramáticos sobre o envelhecimento e a terceira idade. São Paulo: Ágora.

Tuan, Y.-F. (1980). Topofilia: Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Rio de Janeiro: Difel.
Published
2020-01-15
How to Cite
Rech da Silva, F., & Nadir Teixeira Jerônimo, R. (2020). Recreational activities and spontaneity in elderly care service. Revista Brasileira De Psicodrama, 24(2), 108-115. Retrieved from https://revbraspsicodrama.emnuvens.com.br/rbp/article/view/287
Section
Brief Communications