A case on playing, Psychodrama and affective relationships

  • Fábio Santos
  • Tatiana Torres de Vasconcelos
Keywords: child psychodrama, games, case study

Abstract

This article studies a child clinical case followed in a Psychology clinic-school. The client was referred to psychotherapy follow-up under complaints of bad behavior and underachievement from the school where she studied and, according to her mother, hostile behaviors in the family. The work aims to discuss a child clinical case in the light of theoretical background ofPsychodrama. It was noted that, through playing house, the client often adopted aggressive and hostile attitudes of her characters (daughter, mother, grandmother) to the character played by the trainee (grandfather/father). It was observed that, since it only occurred in this ludic mode, playing house represented, in the supplementary reality, a singular space of catharsis, spontaneity-creativity, action economy and expressiveness.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Alegre, C. A. (1982). Psicodrama para crianças. In D. M. Bustos (Org.), O Psicodrama: aplicações da técnica psicodramática (pp. 182-191). São Paulo: Summus.

Almeida, W. C. (2010). Além da catarse, além da integração, a catarse de integração. Rev. Bras. Psicodrama, 18(2), 75-95.

Amatruda, M. J. (2008). Viagem no tapete mágico: métodos psicodramáticos com pré-púberes. In J. Gershoni (Org.), Psicodrama no século 21: aplicações clínicas e educacionais (pp. 133-148). São Paulo: Ágora.

Barreto, M. C., & Barletta, J. B. (2010). A supervisão de estágio em Psicologia clínica sob as óticas do supervisor e do supervisionando. Cadernos de Graduação, 12(12), 155-171.

Carvalho, L. A., & Limaverde, M. N. L. A. (1994). Psicodrama infantil: estratégias e correlações com a criança e a família. Rev. Bras. Psicodrama, 11(1), 77-88.

Carvalho, M. D. S., & Queiroz e Melo, M. F. A. (2017). O eu em cena: o jogo no Psicodrama e os jogos eletrônicos. Rev. Bras. Psicodrama, 25(1), 94-100.

Costa, M. I. M., & Dias, C. M. S. B. (2005). A prática da psicoterapia infantil na visão de terapeutas nas seguintes abordagens: psicodrama, Gestalt-terapia e centrada na pessoa. Estudos de Psicologia, 22(1), 43-51.

Ferrari, D. C. A. (1980). O jogo e o psicodrama infantil: uma correlação entre as teorias de desenvolvimento de J. L. Moreno e D. W. Winnicott. Rev. Bras. Psicodrama, 3(1), 214-216.

Fleury, H. J. (1999). A dinâmica de grupo e suas leis. In W. C. Almeida (Org.), Grupos: a proposta do Psicodrama (pp. 49-57). São Paulo: Ágora.

Kellermann, P. F. (1998). Psicodrama em foco: seus aspectos terapêuticos (E. C. Heller, Trad.). São Paulo: Ágora.

Lepsch, M. P. (2015). A importância do brincar no Psicodrama com crianças. Outras Palavras, 11(1), 24-30.

Lopes, I., & Dellagiustina, M. (2017). Psicoterapia infantil mediada por contos infantis: estudo de caso na perspectiva do Psicodrama. Rev. Bras. Psicodrama, 25(1), 28-37. doi: 10.15329/2318-0498.20170004

Monteiro, R. F. (1993). O jogo no Psicodrama. In R. F. Monteiro (Org.), Técnicas fundamentais do psicodrama (pp. 206-217). São Paulo: Brasiliense. Moreno, J. L. (1997). Psicodrama (13a ed., A. Cabral, Trad.). São Paulo: Cultrix.

Motta, J. M. C. (2002). Jogos: repetição ou criação? Abordagem psicodramática (2a ed.). São Paulo: Ágora.

Patterson, L. E., & Eisenberg, S. (2013). O processo de aconselhamento (4a ed., M. Alonso, Trad.). São Paulo: Martins Fontes.

Pinto, A. C. B., Lima, E. O., & Costa, A. M. B. C. (2009). Um espaço para ser: sociopsicodrama em um abrigo para crianças. Rev. Bras. Psicodrama, 17(1), 137-154.

Soliani, M. L. C. (1993). Realização simbólica e realidade suplementar. In R. F. Monteiro (Org.), Técnicas fundamentais do psicodrama (pp. 69-84). São Paulo: Brasiliense.

Tavora, M. T. (2001). Treinamento em psicoterapia individual, de grupo e de casal: um guia para supervisores e terapeutas iniciantes. Fortaleza: Casa de José de Alencar.

Wechsler, M. P. F., Santos, T. F., Santos, M. A., & Silveira, M. N. (2014). Psicodrama com crianças: das intervenções clínicas às psicossociais. Rev. Bras. Psicodrama, 22(2), 25-35.
Published
2020-01-03
How to Cite
Santos, F., & Torres de Vasconcelos, T. (2020). A case on playing, Psychodrama and affective relationships. Revista Brasileira De Psicodrama, 26(1), 9-17. Retrieved from https://revbraspsicodrama.emnuvens.com.br/rbp/article/view/44
Section
Artigos Inéditos