Time, space, reality and cosmos: expanded clinic and psychic suffering

  • Ana Paula de Freitas
  • Érico Douglas Vieira
Keywords: extended clinic, psychodrama, contemporaneity

Abstract

The article approximates the terms Extended Clinic and Psychodrama, based on the four universals – time, space, reality and cosmos –, aiming at analyzing the clinical performance of the psychologist in the contemporary world. In a way, it can be said that Psychodrama, as a psychosocial theory, can “expand” the clinical practice, once it analyses the microcosms of human relations as the smallest intervention unity, bringing in its genesis a conception of the human condition inserted in the collectivities. The dialogue with thinkers who explain contemporaneity enriches and updates the socionomic knowledge.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Bauman, Z. (1998). O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2005). Confiança e medo na cidade. Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2007). Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Zahar.

Blatner, A. (1997). Psychodrama: the state of the art. The arts in psychotherapy, 24(1), 23-30.

Brasil, Ministério da Saúde (2004). Humaniza SUS: Cartilha clínica ampliada. Brasília: Ministério da Saúde. Retirado de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/clinica_ampliada.pdf.

Contro, L. (2004). Nos jardins do psicodrama: entre o individual e o coletivo contemporâneo. Campinas: Editora Alínea.

Fox, J. (2002). O essencial de Moreno: textos sobre psicodrama, terapia de grupo e espontaneidade. São Paulo: Ágora.

Guattari, F., & Rolnik, S. (1993). Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes.

Hunning, S. M., & Guareschi, N. F. (2005). Problematizações das práticas psi: articulações com o pensamento foucaultiano. Athenea digital, 8, 95-108.

Kehl, M. R. (2011). 18 crônicas e mais algumas. São Paulo: Boitempo.

Lo Bianco, A. C., Bastos, A. V. B., Nunes, M. L. T., & Silva, R. C. (1994). Concepções e atividades emergentes na Psicologia Clínica: implicações para a formação. In: R. Achcar, Psicólogo brasileiro: práticas emergentes e desafios para a formação. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Moreira, J. O, Romagnoli, R. C., & Neves, E. O. (2007). O surgimento da clínica psicológica: da prática curativa aos dispositivos de promoção da saúde. Psicologia: ciência e profissão, 27(4), 608-621.

Moreno, J. L. (1975). Psicodrama. São Paulo: Cultrix.

Moreno, J. L. (1992) Quem sobreviverá? Fundamentos da sociometria, psicoterapia de grupo e sociodrama. Vol. I .Goiânia: Dimensão.

Naffah Neto, A. (1997). Psicodrama: descolonizando o imaginário. São Paulo: Plexus Editora.

Preciado, P. B. (2015). Manifesto contrassexual. São Paulo: N-1Edições.

Silva, R. B., & Carvalhaes, F. F. (2016). Psicologia e políticas públicas: impasses e reinvenções. Psicologia e Sociedade, 28(2), 247-256.

Vieira, E. M., & Boris, G. D. J. B. (2012). O plantão psicológico como possibilidade de interlocução da psicologia clínica com as políticas públicas. Estudos e pesquisas em psicologia, 12(3), 883-896.

Zamboni, J., Oliveira, S. P., Canal, F. D., Barros, M. E., & Cordeiro, P. S. (2014). Os “dramas” de J. L. Moreno e a filosofia da diferença. Psicologia e sociedade, 26(2), 261-270.
Published
2020-01-07
How to Cite
Paula de Freitas, A., & Douglas Vieira, Érico. (2020). Time, space, reality and cosmos: expanded clinic and psychic suffering. Revista Brasileira De Psicodrama, 26(1), 108-116. Retrieved from https://revbraspsicodrama.emnuvens.com.br/rbp/article/view/55
Section
Artigos de Reflexão